Hoje, é possível pensar nesse modo de negócio como “flexível” e “de baixo custo”. Esses pontos acabam sendo determinantes para se pensar em um grupo de empresas. No entanto, você sabe como montar uma central de negócios? Nós vamos contar!

O que são centrais de negócios

As centrais de negócios são grupos organizados por pessoas jurídicas, isto é, empresas. A principal ideia é a de ampliar e melhorar o acesso ao mercado por meio das compras conjuntas. Isso permite que cada empresa se torne mais competitiva e lucrativa.

Mas, a criação desse grupo também traz outras vantagens. Por exemplo, uma central de negócios também pode fazer surgir oportunidades para novos mercados. Dessa forma, a central de negócios é como uma atualização da central de compras.

Além das compras em conjunto, também tem atuação coletiva dos associados. Aliás, para entender as centrais de negócios vale considerar a ideia de entidade de base associativa, isto é, um grupo de empreendedores independentes que visam soluções conjuntas.

Agora, saiba sobre os objetivos e princípios dessas centrais!

Quais os objetivos da central de negócios

A lista de objetivos inclui: compras conjuntas, vendas conjuntas, poder de negociação, padronização de fachadas, centralização de serviços (financeiros, tributários, jurídicos, contábeis), consultorias, comunicação e contrato com fornecedores.

Como consequência, isso também envolve mais participação coletiva em feiras do setor, em rodadas de negócios e em propagandas. Na área da tecnologia, os principais pontos positivos são: contratação de sistemas informativos e acesso às tecnologias.

Quais os princípios da central de negócios

No decorrer do artigo você vai ver como montar uma central de negócios. Só que antes vale a pena entender os princípios. Ou seja, baseado em quê esse tipo de negócio funciona? Primeiro, saiba que a adesão é totalmente voluntária e livre.

A gestão é feita de maneira democrática, onde há o controle dos sócios, que podem participar ativamente das políticas e decisões. Assim, são sociedades autônomas e independentes, que permitem a ajuda mútua dos membros.

E existem os princípios da comunidade, onde há o interesse para o desenvolvimento sustentável de cada região. Isso pode vir, por exemplo, da educação e formação dada aos sócios, dirigentes e administradores.

Como funciona uma central de negócios

O funcionamento da central de negócios acontece através de alguns fundamentos. Por exemplo, adequação, participação e estratégias de mercado. Lembrando que o foco não está apenas na busca do poder de negociação entre fornecedores.

Mas, também na construção de uma marca forte, do treinamento de empregados, na troca de experiências entre os associados e muito mais. E para que tudo isso aconteça, leve em conta os detalhes sobre cada um dos fundamentos que falamos acima.

Adequação – é o que mais leva tempo para acontecer. No entanto, é fundamental para que empresários consigam fazer melhores negócios. Aqui vale a atenção para o fato de que quanto mais diferentes os portes das empresas, maior será a dificuldade para se adequarem.

Participação – nessa etapa, é preciso pensar em reuniões e ações que atendam aos interessados. Por isso, uma boa dica é considerar a ideia como um negócio de verdade, isto é, uma nova empresa ou entidade.

Estratégia – a última parte é a estratégia de mercado. Assim, considere que os objetivos devem estar embasados em estratégias gerais e não somente na redução de custos com as compras conjuntas. Como em toda associação, é preciso pensar no processo associativo.

A partir desses tópicos fica mais fácil entender como funciona uma central de negócios. Só que ainda falta mencionarmos aqui mais um detalhe importante: como definir uma central de negócios? É para isso que temos o próximo tópico.

Como montar uma central de negócios

Atualmente, temos um projeto de lei, que formaliza esse modelo de negócio. É o Projeto de Lei Complementar 57/2021. Conheça mais sobre ele aqui.

Além do PLP, instituições como o Sebrae possuem roteiros para auxiliar na estruturação desse negócio empresarial.

Dentro desse tópico, nós vamos apresentar as fases que são indicadas em poucos detalhes. Logo, é importante que você, enquanto empreendedor, saiba que se trata de uma sugestão de como organizar a central de negócios.

Fase 1 – o foco nessa fase é envolver as pessoas buscando criar o grupo de interesse. É a fase chamada de sensibilização, ao passo que isso pode acontecer com palestras, estudo de viabilidade econômica e nivelamento.

Fase 2 – na segunda fase vem a ideia de constituição. Inclusive, essa é uma etapa mais formal do processo de legalização para a criação da central de negócios. Então, cria-se uma Assembleia, onde a Diretoria deve aprovar o Estatuto.

Fase 3 – mais uma fase para montar a central de negócios é a que vem antes da operacional. Assim, define-se a questão estrutural, como de ambientes, móveis, equipamentos, etc. Aqui é preciso ter um bom apoio técnico.

Fase 4 – por fim, vem a fase operacional. Nesse caso, todo “laboratório” das fases anteriores deve ser usado como forma de concretizar a ideia. Toda equipe deve estar conscientizada e acompanhando o processo.

Temos um próximo artigo que explica mais detalhadamente sobre esses 4 passos para montar uma central de negócios, leia aqui.

Como obter os melhores resultados em uma central de negócios

Para terminar o conteúdo, vem aquela reflexão que todo empreendedor, gestor e líder tem que fazer: vale a pena montar uma central de negócios? Na verdade, unir empresas em prol de um bem comum é uma ideia brilhante, de fato.

Ainda mais quando se pode pensar nos benefícios que essas centrais podem trazer, como a possibilidade de fazer compras conjuntas. Afinal, as compras podem indicar o sucesso ou o fracasso de um negócio, sabia?

No nosso blog, a gente conta mais sobre como as compras conjuntas podem reduzir os custos de uma rede de franquias e também já falamos das vantagens das compras conjuntas para os sindicatos.

No entanto, para que se tenha os melhores resultados, considere que contar com parcerias pode ser uma decisão assertiva. Nós da Área Central cumprimos esse papel de criar soluções para que entidades e grupos cresçam de modo sustentável e escalável.

E isso acontece de um jeito muito simples: através da união de informações e conhecimento em um único lugar. A nossa marca surgiu justamente dessa ideia de organizar os grupos associativos e permitir uma gestão muito mais eficiente. 

Hoje, somos pioneiros no mercado. Fale agora mesmo com um dos nossos especialistas e descubra como podemos acelerar a sua ideia!