Definir o mix de produtos ideal para a sua loja de materiais de construção pode ser um fator decisivo para alavancar suas vendas.

Entender o comportamento dos consumidores e sua relação com o fluxo de produtos vendidos é de suma importância para estabelecer quais são as prioridades do estoque e realizar eventuais mudanças sempre que forem necessárias. 

Mais que adaptar-se conforme as demandas do seu ponto de venda, é preciso compreender os dados do seu desempenho e trabalhar essas informações de maneira inteligente, para que elas sirvam de base para as decisões necessárias. 

A seguir, confira os principais fatores para considerar na definição de um bom mix de produtos e, em seguida, veja como a automação é capaz de otimizar essa tarefa! Continue a leitura!

Descubra como definir um bom mix de produtos para loja de materiais de construção

É fato que toda loja de materiais de construção conta com características, públicos e demandas diferentes. 

Sendo assim, não existe uma receita pronta para o mix de produtos: é preciso adaptá-lo de acordo com as necessidades específicas de cada estabelecimento!

Para que isso seja possível, os gestores devem analisar alguns pontos básicos, que servem como base para compreender a realidade da loja e seus aspectos passíveis de mudanças. 

Confira os principais cuidados que devem ser adotados e fatores para considerar:

Analise a realidade do mercado

O primeiro passo para determinar qual é o mix de produtos ideal para a sua loja é compreender a realidade do setor em que você atua. 

Pesquise quais são as principais tendências da área, os produtos mais populares entre os consumidores, os avanços tecnológicos e inovações, bem como, as marcas que desempenham um papel de liderança no seu mercado. 

Outro ponto muito importante é definir quais são os seus principais concorrentes e analisar as ações desempenhadas pelos mesmos, comparando-as com os resultados do seu histórico de vendas. 

Essa é uma excelente maneira de conferir quais são as estratégias já adotadas que realmente funcionam e de adaptar eventuais ações para a realidade do seu negócio.   

Como destaca o blog da Involves Club, esses esforços não devem ser pontuais. É necessário reavaliar o mix de produtos com frequência!

Lembre-se que a indústria construtiva está em constante renovação e novas mercadorias podem surgir com novas soluções para os consumidores. Por isso, acompanhe sempre as novidades e mantenha-se atualizado. 

Compreenda as demandas dos consumidores

Com a realidade do mercado em mente, é preciso também levar o foco para aquilo que os seus consumidores realmente desejam e precisam. 

Considerando que muitos chegam até uma loja de materiais de construção buscando por orientações, sem saber exatamente o que realmente querem, esteja pronto para oferecer os produtos ideais para as suas necessidades demandas. 

Com base nos dados internos de sua empresa, veja qual é o perfil dos compradores, levando em consideração poder aquisitivo, gênero, faixa etária, função (se são majoritariamente construtores, pedreiros ou clientes finais), etc. 

Outro ponto indispensável é pesquisar quais são os tipos de obras mais executados e quais os materiais ou produtos que são mais utilizados nelas. 

Além de conferir os próprios dados cadastrais, esse tipo de informação também exige um contato direto, que seja solicitado diretamente junto aos clientes. Por isso, treine sua equipe para que converse, obtenha esses fatos e os registre.

O Blog do Varejo de Materiais de Construção bem aponta que, quanto mais você conhece os hábitos e padrões dos seus consumidores, mais saberá qual é o posicionamento ideal para atendê-los com qualidade e os fidelizar!

Defina os melhores fornecedores 

Defina os melhores fornecedores

Para que o seu mix de produtos realmente conte com opções que correspondam aos padrões do mercado e às demandas dos consumidores, é preciso certificar-se de que seus fornecedores sejam capazes de atender às necessidades específicas de sua loja. 

Mais que uma simples relação de compras, é preciso ter certeza de que o relacionamento mantido seja realmente de uma parceria mútua, afinal, o seu trabalho e o deles são interdependentes! 

O primeiro ponto é ter certeza de que os produtos oferecidos sejam de qualidade e atendam às pretensões do seu catálogo. Cumprir prazos fielmente e adaptar-se conforme a sazonalidade das vendas também é de suma importância. 

Outro fator fundamental é ter um bom poder de negociação, certificando-se de que o fornecedor ofereça as condições que seu estabelecimento necessita de forma que a margem de lucro de ambos seja positiva. 

Cobre também de seus fornecedores para que se mantenham atualizados quanto as tendências do segmento e desejos dos compradores – essa não é uma tarefa apenas sua e, muitas vezes, serão os seus parceiros as melhores fontes desse tipo de dado.

Por fim, tenha certeza de que as marcas vendidas atendam aos padrões da ABNT, contem com uma boa variedade para o seu mix de produtos e, acima de tudo, que sejam reconhecidas e tenham bom desempenho entre os clientes. 

Agora que você já sabe quais são os pontos fundamentais para manter as ofertas do seu catálogo sempre atrativas e competitivas, confira, no próximo item, como o uso da automação pode otimizar o atendimento a cada uma dessas demandas. 

Veja como a automação pode lhe auxiliar nessa área 

Sem um bom sistema de automação, a tarefa de reunir dados sobre o perfil e o comportamento dos clientes, do desempenho dos fornecedores e do potencial de cada categoria se torna um desafio muito mais difícil. 

Com esse tipo de tecnologia, as compras tornam-se integradas, com acompanhamento e recolhimento de informações completo desde a cotação, até a negociação com fornecedores e entrega final. 

Além disso, a comunicação entre os agentes da cadeia comercial se torna mais eficiente, o controle de verbas é integral e incontáveis dados estratégicos podem ser recolhidos para a manutenção de uma base de dados segura.

Para se ter uma ideia de como um sistema de automação favorece a tomada de decisões referente ao mix de produtos e contribui para o crescimento das empresas, o case da Rede GMinas é um excelente exemplo! 

O principal diferencial que levou os gestores a escolher a plataforma foi o modelo de gestão orientado pelo Gerenciamento de Categorias, que permite adaptar o estabelecimento às necessidades dos clientes e suas experiências de compra. 

Antes, sem conhecer precisamente o potencial de certas categorias, a empresa não conseguia canalizar suas informações em resultados efetivos. 

Depois da implementação, foram identificados fornecedores, categorias de produtos de alto potencial e melhores caminhos para negociações que permitiram à GMinas ampliar a sua competitividade. 

Em maio de 2019, quando a empresa registrou um ano da instalação da Plataforma Inteligente da Área Central, foram constatadas projeções de 8% de crescimento, considerando o ajuste da inflação! 

Você conseguiu compreender a relevância da plataforma de gestão para construir o mix de produtos adequado para a sua loja? Se você quer entender mais sobre quais outras funcionalidades podem ser aliadas, confira nosso conteúdo Sistema de gestão: quais funções são parceiras da sua loja?