Um bom planejamento é fundamental para a competitividade de qualquer negócio – principalmente nas redes e centrais de negócios, que contam com diversas pessoas envolvidas e processos que demandam extremo controle e atenção.

Boas ideias, porém, não bastam caso não haja seriedade, eficiência e um excelente controle para tirá-las do papel. Essa é uma missão que exige extremo preparo e capacidade de gerenciamento entre os gestores e os membros das organizações. 

Descubra, a seguir, qual a importância de um bom planejamento, quais são os cuidados indispensáveis para que ele seja bem executado e as melhores práticas para tirá-lo do papel com segurança e eficiência! Continue a leitura!

Qual a importância de um bom planejamento nas redes ou centrais de negócios?

De acordo com uma matéria especial, publicada na terceira edição da Revista Acrescentar, o grande desafio das empresas nacionais é a pesada concorrência imposta por negócios globais que ingressam nos mercados locais. 

É a dificuldade de fazer com que os negócios sobrevivam nesse ambiente corporativo altamente competitivo que fez com que as organizações, principalmente micro e pequenas empresas, se organizassem de maneira cooperativista.

É justamente a união entre os negócios que permite um enfrentamento justo dessas forças opostas que ocupam o mercado, gerando ganhos maiores, novas oportunidades de negociação e uma forte competitividade. 

No formato de rede ou central de negócio, o principal objetivo é o estabelecimento de metas e estratégias conjuntas, a troca de experiências, o aumento do poder de barganha, dentre outras vantagens que não seriam possíveis individualmente. 

Para que as decisões tomadas de maneira coletiva e os objetivos citados possam realmente ser executados, porém, é preciso que os gestores e as lideranças tenham um bom planejamento, que serve de suporte para que as ideias e objetivos saiam do papel.

Na fase inicial, essa capacidade de gerir os objetivos de maneira inteligente é imprescindível – e passa a se tornar ainda mais desafiadora com o passar do tempo, já que a rede cresce, desenvolve-se e passa a enfrentar desafios cada vez maiores!

Constantemente, os tomadores de decisão devem garantir que a condução da rede ou central está alinhada aos objetivos traçados, se a obtenção de novos ganhos será possível e se há preparo para os desafios no processo de crescimento.

Saber o que precisa ser continuamente melhorado na gestão dessa relação cooperativista e quais atitudes devem ser tomadas para que o seu funcionamento seja sempre vantajoso em prol da competitividade das empresas é indispensável. 

Quais são os cuidados fundamentais para garantir que o planejamento seja bem executado? 

Quais são os cuidados fundamentais para garantir que o planejamento seja bem executado?

Após  estabelecer um bom planejamento, é fundamental validar as ações propostas junto aos resultados obtidos, verificando se os gestores alcançaram os ganhos pretendidos para a rede ou central – ou se falharam nessa missão. 

A forma com que a gestão se organiza deve ser regulamentada por meio de acordos formais e bem definidos, como código de ética, contrato social, além das próprias regras internas comuns entre as organizações. 

Esses são os meios com que a rede ou central pode garantir a funcionalidade pretendida e regulamentar o comportamento dos seus integrantes, que estão sujeitos a sanções e punições caso desrespeitem aquilo o que foi acordado. 

É essencial que as lideranças sejam capazes de estabelecer padrões bem definidos e alinhados com a gestão colaborativa, incentivando e garantindo a participação de todos os integrantes. 

Em redes com diversos associados ou em que os membros possuem grande distância geográfica esse desafio é ainda maior, por isso exige uma capacidade ainda mais plena de planejamento e execução. 

Uma boa solução nesses casos são reuniões estabelecidas por região, de maneira itinerante, que possibilitam a participação de todos, sem exceção. 

Fomentando a boa relação e comunicação entre todos os envolvidos, é indispensável também manter as assembleias gerais, que garantem o alinhamento do planejamento e analisam o bom andamento de sua execução.

Em um cenário ideal, cada participante de determinada rede ou central de negócio deve estabelecer um conjunto comum de boas práticas, que sirva de modelo para todos os envolvidos e contribua para a melhoria dos negócios. 

Veja no item seguinte quais são as principais práticas que tornam possível tirar o planejamento do papel com eficiência. 

O que deve ser praticado para tirar o planejamento do papel e garantir bons resultados?

Mais que ampliar o poder das compras e a escala das negociações, as práticas que garantem a viabilidade das redes e centrais incluem o planejamento de atitudes como: 

  • Compartilhamento de experiências e ideias entre os associados
  • Promoção de programas de inovação e aprendizagem
  • Redução geral de custos
  • Compartilhamento de experiências técnicas
  • Ampliação de serviços e de infraestrutura para o crescimento conjunto
  • Lançamento ou comercialização coletiva de novos produtos
  • Estabelecimento de marca, frota, sede ou outros bens próprios entre os associados
  • Maior garantia de crédito entre os envolvidos
  • Identificação conjunta de oportunidades e ameaças de mercado
  • Ações conjuntas para melhor gerenciamento e manutenção da rede
  • Contratação de serviços terceirizados especializados, como contabilidade, assistência jurídica, agências de marketing, serviços de manutenção, entre outros. 

Já em relação ao planejamento para o futuro, as questões mais importantes que devem ser monitoradas são as tributárias e jurídicas, as capacidades das lideranças, além do bom andamento dos processos. 

Para os pontos tributários e jurídicos, é preciso certificar-se dos melhores formatos possíveis para a manutenção da rede ou central, já que escolhas erradas nesse sentido podem gerar entraves em futuros negócios. 

Sobre os processos, o ideal é estabelecer detalhadamente um fluxo de tudo o que é feito, desde as negociações, até a entrada de novos membros e os cronogramas das ações de marketing. 

Esse tipo de cuidados garante que, quando ocorra uma mudança de gestores ou de colaboradores de áreas muito importantes, as alterações possam fluir de maneira natural e sem comprometer o que já estava sendo executado. 

Nesse sentido, é importante também uma preparação em etapas das lideranças, para que não ocorram mudanças drásticas ou surpresas desagradáveis motivadas pela eventual falta de preparo dos responsáveis. 

E então?

Você viu que falamos sobre qual a importância do planejamento para as redes e centrais de negócios e os cuidados que precisam ser tomados para que ele seja bem executado. E ainda, pontuamos algumas práticas essenciais para que ele sai do papel e proporcione a este modelo de negócio bons resultados.

É muito comum que o planejamento seja estruturado no final ou início do ano, mas isso não é uma regra. 

Independente da época ele é primordial para nortear as ações das redes e centrais e assim permitir uma visão mais clara do que vem sendo feito e do que precisa ser alterado para alcançar os objetivos traçados.

Você já conhecia os pontos mais importantes para tirar um bom planejamento do papel? Se ficou com alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato conosco! 

Se desejar, clique abaixo e faça o download gratuito do Kit Fundamental de Gestão que elaboramos com dicas para ajudar sua rede ou central a crescer ainda mais!

Download Kit Fundamental de Gestão