Os desafios do modelo de negócio associativista pedem soluções ágeis e eficientes, visando a manutenção das atividades. Quanto a isso, é fundamental se manter atualizado e devidamente capacitado no que tange a aspectos técnicos, mas também no que se refere às habilidades interpessoais, ou, às chamadas soft skills.

Sobretudo, quando pensamos nas diversas transformações pelas quais passam o mundo, desde o advento da pandemia, provocada pela Covid-19. O que ela fez foi deixar claro a importância de estar preparado para mudanças bruscas, com alto potencial de interferência na rotina pessoal e corporativa.

Sendo assim, é fato que investir em conhecimento vai muito além de se especializar em gestão administrativa e pontos nesse sentido, significa também aguçar o olhar, despertando para a consciência.

Neste conteúdo, você entenderá mais sobre esse assunto, podendo observar quais são as soft skills que todo gestor ou associado deve ter! Com isso, ficará claro ainda como elas podem contribuir para uma atuação mais presente, participativa e evolutiva no grupo. 

Ao fim, você será capaz de se movimentar rumo ao que gera verdadeiramente resultados. Continue a leitura e confira!

Soft skills: confira as 5 principais que todo gestor ou associado deve ter

Seja qual for o setor, ele precisa de habilidades que não se restringem apenas ao campo do saber técnico. Afinal, se por um lado é imprescindível dispor da continuidade das operações, por outro, não há como ignorar que quando se trata de decisões, o que vale mesmo é a postura, isto é, a forma de agir em determinadas situações.

Nesse sentido, as soft skills se mostram imprescindíveis para o progresso contínuo das demandas, e deve estar no radar de todos, tanto gestores quanto associados. 

A seguir, veja quais são as 5 principais habilidades interpessoais para aprimorar hoje!

1 – Resolução de problemas complexos

Saber resolver problemas complexos é certamente uma das atividades mais necessárias no modelo de negócio associativista. Isso porque, a qualquer momento podem surgir entraves capazes de interferir nas negociações. 

Portanto, lidar com a situação de maneira tranquila e segura, analisando com calma o cenário, pode ser o fator crucial para os resultados. Essa é a hora de apostar na resiliência e focar em estabelecer uma comunicação assertiva com o grupo. 

Vale ainda lembrar que os problemas surgidos não precisam ser encarados como decisivos sob a ótica negativista, já que os seus aprendizados podem, inclusive, servir de base para a superação dos prováveis futuros conflitos.

2 – Gestão de pessoas

Outra soft skills essencial diz respeito à gestão de pessoas, que tem ganhado força nos últimos anos. Aqui entra, mais precisamente, o papel do gestor como figura central responsável por direcionar os associados a escolhas e ações inteligentes. 

Primordial, nesse aspecto, é ter clareza quanto aos avanços nos debates acerca da pessoa moderadora, apreciada enquanto líder, não mais como chefe. 

Isso se deve à questão da empatia, muitas vezes negligenciada por personagens autoritários, que visam somente o alcance de objetivos, mas não quem contribui para tais alcances. 

Uma gestão de pessoas eficiente deve então estimular a integração, elaborando caminhos para a otimização das ações e integração entre os empreendedores envolvidos.

3 – Inteligência emocional

Cada vez mais presente nas rodas de conversa, a inteligência emocional é, sem dúvidas, uma das mais relevantes soft skills. Ela trata de reconhecer suas emoções e gerenciá-las de forma que beneficie suas metas e relações. 

Além disso, envolve ainda estabelecer um bom contato com as emoções alheias, o que é fundamental para as negociações e para a própria manutenção do grupo. 

Deve assim estar na mira de quem almeja elevar o patamar do negócio, elaborando práticas interpessoais mais empáticas.

4 – Negociação 

Não há como não pensar em associativismo sem pensar nas negociações, já que elas fomentam as atividades e garantem o prosseguimento do empreendimento no setor. 

De forma simplificada, negociar significa dialogar com outras pessoas no intuito de atingir determinados interesses. Na prática, para isso ocorrer, é importante exercitar a escuta ativa e ter máximo entendimento do cenário e do negócio. 

O processo requer ainda saber lidar com opiniões diversas e encontrar soluções para problemas que nem sempre são comuns.

5 – Criatividade 

Se engana quem acha que a criatividade se relaciona apenas às áreas amplamente definidas como criativas, tais como, escrita, artes cênicas e design. 

Criatividade, por definição, se refere a criar, produzir e inventar coisas, o que é relevante se pensarmos no valor de se manter atualizado e adepto à inovação no mercado. 

É sobretudo, útil, no surgimento de problemas que podem ser resolvidos com a junção de ideias novas e antigas, ferramentas e demais recursos. Às vezes tudo o que falta é uma visão inovadora para alavancar os passos do grupo, se destacando em meio a grandes players do mercado.

E então?

Como vimos neste conteúdo, para se manter firme e próspero no mercado, é fundamental dispor de ferramentas humanas para lidar com as mais diversas situações. 

Em outras palavras, contar com as soft skills na sua rotina se apresenta como um dos mais relevantes diferenciais e que, portanto, precisam ser praticados.

Para se manter sempre atualizado e informado com quem entende de negócios associativos, se inscreva gratuitamente em nossa newsletter! Com ela, você receberá notícias, dicas e conteúdos exclusivos baseados na expertise da Área Central!