Comprar mais e por preços menores é interessante para toda empresa. Da mesma forma, as ações coletivas, que permitem compras conjuntas, boas práticas na gestão e ações mútuas de marketing, por exemplo, também podem ser uma forma de reduzir custos e aumentar os lucros.

É por isso que um tipo de grupo se tornou uma tendência no mercado: as centrais de negócios. No entanto, na hora de criar essa nova empresa para que os envolvidos conquistem os seus benefícios vem a dúvida: como montar uma central de negócios?

A partir dessa reflexão, criamos um texto muito fácil de ser compreendido para que todo empreendedor com visão estratégica possa considerar as vantagens das centrais de negócio. A partir de 4 passos é possível dar início a esse formato de negócio. Descubra!

Os 4 passos para montar uma central de negócios

A ideia central dessa matéria é dar continuidade e trazer mais detalhes sobre a criação de uma central de negócios. Isso porque no último artigo, nós criamos um material que explica o que é a central de negócios. Contamos sobre os objetivos, os princípios e como ela funciona.

E também selecionamos algumas dicas para que uma central de negócios tenha os melhores resultados. Se você ainda não leu esse conteúdo, clique aqui para ler agora. Mas, se você já leu, então, agora é hora de aprender os passos sobre como montar uma central de negócios.

1 – Mobilização

O primeiro passo para montar uma central de negócios vem da mobilização. Nesse ponto é muito importante que os empreendedores que estão interessados na ideia consigam entender os principais benefícios desse grupo.

Outro detalhe que é preciso considerar tem a ver com as pessoas que serão as responsáveis por fazer a organização da central. Como veremos abaixo, o ideal é que se tenha um estudo de viabilidade econômica, um mapeamento financeiro, uma pesquisa de investimentos, etc.

E nessa fase da mobilização, vale a pena nivelar o conhecimento. Isto é, quanto mais empreendedores conhecerem mais sobre esse modelo de negócio, melhor para todo o grupo.

2 – Constituição

Agora temos a parte da constituição, isto é, a formalização da central de negócios. É nesse momento que é convocada uma assembleia para que se eleja a gestão e se crie um estatuto dessa nova empresa.

Também é nessa hora que se começa a reunir os documentos necessários para iniciar as atividades do grupo e fazer o registro da central de negócios. Mas, quais são esses dados? O registro no cartório de pessoa jurídica, a Ata da Fundação, o Estatuto, a Diretoria, etc.

Aliás, vale lembrar que no Estatuto devem estar alguns pontos como: dados da associação, formato de administração, obrigações sociais, entre outros. Por isso, o Estatuto é considerado o registro inicial da central de negócios.

Uma boa ideia é ter uma gestão que conte com profissionais de várias áreas, como um de finanças para fazer a contabilidade. Até mesmo porque a partir de agora outros documentos serão necessários, como o livro-caixa, o registro de empregados, etc.

3 – Estrutura

Essa terceira fase ou terceiro passo da montagem de uma central de negócios envolve pontos pré-operacionais. Logo, é um elo de ligação entre a formalização do grupo com o início das atividades dele.

Nesse ponto é importante que se defina sobre a localização, a aquisição de móveis e equipamentos. Logo, é a ideia de montar a estrutura, o escritório, o atendimento, enfim, toda parte física da central de negócios.

Mas, isso só vai acontecer se o plano de viabilidade econômica tiver sido aprovado pela Diretoria ou pelos gestores do grupo. Por isso, esse passo é uma espécie de ligação que vai direcionar o início das operações.

4 – Operação

Essa é a última etapa para montar uma central de negócios hoje em dia. Afinal, é a partir daqui que essa empresa poderá iniciar as suas negociações com outras empresas, parceiros, fornecedores e fazer as compras conjuntas, além de prestar outros serviços aos envolvidos.

Para além do início dos trabalhos, também se deve considerar que a continuidade do negócio vai existir de modo mais saudável a partir do momento que tiver um planejamento que inclua as reuniões, que são importantes para a tomada de decisão do grupo.

Obviamente, como toda empresa, uma central de negócios também precisa estar baseada em estratégias de mercado e não ter o único intuito de reduzir custos, apesar de que essa é uma das vantagens da central de negócios. Então temos uma dica bônus para você!

Bônus – A Estratégia de Mercado

Nesses passos ficou claro que é possível criar uma central de negócios visando o benefício para todos os empreendedores. Porém, a partir da operação, com certeza, vão surgir outras dúvidas que são comuns em quase todos os grupos.

É nessa hora que entra um quinto passo, que é sobre tomar decisões, isto é, pensar de forma estratégica. Até mesmo porque esse modelo de negócio permite uma estruturação mais leve, mesmo com o envolvimento de todos os participantes.

Logo, vale a pena lembrar que ainda que no início a ideia de criar uma central de negócios fosse pensar em comprar mais e pagar menos, saiba que existem outros benefícios que devem ser considerados a partir das atividades iniciais.

Pensando nas novas tecnologias, ter uma plataforma de gestão que foi criada para conectar todo o grupo em um mesmo lugar seria ótimo, não é? Estamos falando sobre cadastros, compras e vendas, financeiro, comunicação, relatórios e muito mais.

Ficou interessado nessa ideia como estratégia de mercado para a sua central de negócios? Conheça mais da Área Central. Somos a melhor representação de uma solução que foi idealizada com base nos modelos das centrais de negócios. Por isso, você tem que conhecer!